Sam Bennett deixará a equipa da Deceuninck-Quick Step no final da temporada

O mercado de transferências está ao rubro no Giro d’Italia. Após o recente anúncio de Deceuninck-Quick Step da saída no final da temporada do português João Almeida, Patrick Lefevere, afirma que o sprinter irlandês Sam Bennett também deixará a equipa belga.

O boato virou notícia no inicio do Giro, e Bennett, um dos melhores sprinters do Pelotão Mundial, 30 anos e Camisa Verde no Tour de France 2020, deixará a “matilha de lobos” para retornar, provavelmente, ao Bora-Hansgrohe. De acordo com Lefevere, uma questão de dinheiro.

“Ele não quer sair, mas eu não tenho tanto dinheiro quanto os outros. O fato desses tipos de corredores partirem faz parte da vida. Como profissionais, eles têm que ganhar o máximo de dinheiro possível. Mas olhe para os atletas que nos deixaram. Alguns voltam para casa a pé”, disse o veterano líder belga no Giro.

O corredor irlandês, vencedor de 2 etapas no Tour e 3 na Vuelta e Giro, chegou á Deceuninck-Quick Step em 2019, e com esta camisa ganhou 14 vezes. Na 47ª Volta ao Algarve que acabou ontem foram 2 etapas e venceu a Camisola Verde e está programado para retornar este ano ao Tour e tentar ganhar a “Verde” novamente.

Para Lefevere, que recentemente anunciou a saída de Almeida pouco antes da renovação da grande joia do ciclismo belga Remco Evenepoel, o importante é que sua equipa vença as corridas, independentemente da nacionalidade do corredor.

“Mesmo que ninguém acredite em mim, a verdade é que não me importo se ganho o Giro com um belga ou um português. Quem me conhece sabe que a camisa da Equipa é mais importante para mim, não a bandeira ou para o país” do Atleta.

Bennett poderá retornar á Bora-Hansgrohe no lugar do sprinter alemão Pascal Ackermann, cuja Equipa também poderá contar com o tricampeão mundial da Eslováquia Peter Sagan.

VEJA TAMBÉM