Daniela Campos conquista medalha de bronze em scratch

PARTILHJE

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

DETALHES

Primeira medalha para a Seleção Nacional nos Campeonatos da Europa de Pista. Daniela Campos conquistou o bronze na prova de scratch, em sub-23, e nem uma queda a afastou do foco de subir ao pódio.

A ciclista portuguesa partiu para a prova ciente do que tinha de fazer, mantendo-se atenta às adversárias que sabia que seriam as mais fortes na discussão das medalhas. A queda foi um “percalço”, como afirmou, mas só pensou em regressar à prova e cumprir o objetivo. “Temos apenas cinco voltas para retomar a corrida. A minha única preocupação era retomar o mais rápido possível, manter o foco, mesmo com as dores. Nunca perdi a noção da minha posição no grupo e o foco nas adversárias que tinha como referência para finalizar bem”, explicou.

Já medalhada em júnior, Daniela junta assim o bronze ao palmarés: “É um momento muito feliz. É muito bom para mim e para a equipa depois de tanto trabalho e azar que tenho tido nos últimos tempos.”

O selecionador, Gabriel Mendes, ficou orgulhoso de mais uma conquista de um ciclista português na pista. “Nós trabalhamos para ir melhorando progressivamente. A obtenção da medalha por parte da Daniela reflete o trabalho que ela desenvolveu em pista, atenta aquilo que eram os factores importantes da competição e quando assim é, a probabilidade de ter sucesso é maior. Nós temos de estar focados naquilo que é o trabalho que temos de desenvolver e tentar o máximo de competência em prova. Se não tivermos competência, se não tivermos as capacidades para fazermos coisas na corrida é difícil é chegar aos lugares cimeiros da classificação. Isso aconteceu e estamos muito contentes e orgulhosos com a medalha da Daniela. Há que continuar a trabalhar porque há aspetos para melhorar”, salientou.

A prova foi ganha pela checa Petra Sevcikova, que deu uma volta de avanço ao grupo. A britânica Ella Barnwell ficou com a medalha de prata.

Rodrigo Caixas tentou defender o título conquistado em 2021 no scratch, também em sub-23, e lançou-se para a frente da corrida, obrigando os adversários a estarem bem atentos e a persegui-lo. No entanto, na parte final da prova, acabaria por ser ultrapassado, terminando na sétima posição.

“O Rodrigo esteve muito bem. Foi pena a parte final. Ele não estava a conseguir ver a quantidade de atletas que tinha na sua roda. Ele sabia que ia fracionar, mas não tinha real perceção da situação em concreto. O corredor que vinha a fazer a perseguição e trazia os outros dois na sua roda e sabia que estavamos numa situação de risco. Tentei comunicar, mas não é fácil comunicar aqui. Ele trazia o atleta a 10 metros e observando não dá para ter muito bem a perceção do que estava a acontecer. Mas ele fez uma corrida espetacular”, referiu Gabriel Mendes.

O britânico William Tidball – que se sagraria campeão europeu – liderou a perseguição ao português, tendo na sua roda os ciclistas que acabariam por ficar com a medalha de prata e bronze: o austríaco Tim Wafler e o ucraniano Kyrylo Tsarenko.

No segundo dia de competição no velódromo de Sangalhos estiveram em prova mais dois portugueses, os juniores Laura Simão e Francisco Marques. Ambos estiveram na prova de eliminação, com a jovem ciclista a ser a primeira a sair da corrida, enquanto Marques terminou na 12ª posição.

“São estreantes e é uma corrida muito difícil. Foi pena a Laura ser eliminada na primeira situação, mas é a primeira vez que está a competir a este nível e ainda há muito para aprender. Ela tem capacidade para progredir. O João demonstrou uma atitude bastante aguerrida. Na parte final foi eliminado também um bocado pela inexperiência, mas isso é uma consequência da ausência de competição a este nível que eles têm. Com mais experiência, terão condições para progredir”, salientou Gabriel Mendes.

A prova feminina foi ganha pela checa Barbora Nemcová, com a ucraniana Anna Kolyzhuk a conquistar a medalha de prata e a britânica Awen Roberts a de bronze. Na corrida masculina, o campeão foi o italiano Matteo Fiorin, com a Grã-Bretanha a ficar com a prata por intermédio de Jed Smithson e o esloveno Zak Erzen a garantir o bronze.

O terceiro dia dos Europeus de Juniores e Sub-23 será dedicado maioritariamente às provas de velocidade e não haverá portugueses em prova.