Scott McGill bisa na 6ª Etapa da Volta a Portugal, Frederico Figueiredo mantém de amarelo

PARTILHJE

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

DETALHES

A fuga esteve perto de chegar, mas Scott McGill (Wildlife Generation Pro Cycling) acabou com a esperança dos adversários acelerando para a vitória num sprint poderoso. João Matias (Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados) foi segundo e perdeu a camisola verde, dos pontos, e António Carvalho (Glassdrive-Q8-Anicolor) fechou na terceira posição.

Foto: Volta a Portugal

Após uma quinta etapa emocionante que viu a camisola amarela mudar de mãos, dentro da mesma equipa, o dia de hoje ofereceu aos corredores uma tirada mais tranquila, sem alterações na geral individual. Os 159,9 quilómetros, que ligaram Águeda e Maia iniciaram-se a grande velocidade, com várias tentativas de fuga. Foi ao quilómetro nove que se deu a primeira fuga, composta por nove corredores, que nunca conseguiu ganhar muita vantagem em relação ao pelotão. O grupo viria a ser alcançado logo após a primeira meta volante, em Oliveira de Azeméis. 

Pouco depois, cerca do quilómetro 60, surgiu novo ataque no pelotão. A nova fuga era composta por sete corredores, entre eles Keegan Swirlbul (Human Powered Health), Unai Cuadrado (Euskatel-Euskadi), Tiago Antunes (Efapel Cycling), Luís Gomes (Kelly-Simoldes-UDO), Hugo Nunes (Rádio Popular-Paredes-Boavista), Márcio Barbosa (ABTF Betão-Feirense) e José Mendes (Aviludo-Louletano-Loulé Concelho). A este grupo, que chegou a ter mais de três minutos de vantagem, viria mais tarde a juntar-se também Rafael Lourenço (Atum General-Tavira-AP Maria Nova Hotel).

No pelotão era a Glassdrive-Q8-Anicolor que ia assumindo as despesas da corrida e, na primeira passagem pela meta, a sensivelmente 15 quilómetros do final, a diferença para a frente tinha já diminuído para 30 segundos. Nesta altura, na fuga, não havia já grande entendimento, com José Mendes a ganhar alguma vantagem para os restantes corredores que seguiam no mesmo grupo. 

Os restantes elementos da fuga foram sendo absorvidos pelo pelotão, sobrando apenas Luís Gomes e Hugo Nunes, que se juntaram pouco depois a José Mendes em cabeça de corrida. O trio ainda ganhou cerca de 15 segundos para ao pelotão, mas acabariam por ser alcançados a faltarem seis quilómetros para o final. Pouco tempo passou até que fosse lançado novo ataque, desta feita, por parte de Txomin Juaristi (Euskatel-Euskadin) e Robin Carpenter (Human Powered Health). A equipa Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados assumiu a perseguição e acabou com esta iniciativa por parte dos dois corredores. 

No último quilómetro quem acelerou primeiro foi Maurício Moreira (Glassdrive-Q8-Anicolor), com o objetivo de lançar Fábio Costa. No entanto, nos últimos metros, o americano Scott McGill (Wildlife Generation Pro Cycling) foi mais forte e voltou a vencer na Volta a Portugal Continente, recuperando assim a camisola verde, dos pontos, que já tinha vestido no início da prova. João Matias (Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados) foi segundo, e fica agora a seis pontos to topo da tabela da geral por pontos. António Carvalho (Glassdrive-Q8-Anicolor) foi o terceiro a cortar a linha de meta.

Na geral individual não houve quaisquer alterações, mantendo-se Federico Figueiredo (Glassdrive-Q8-Anicolor) na liderança, com a camisola amarela, seguido do seu colega de equipa, Maurício Moreira, a sete segundos, e Luís Fernandes (Rádio-Popular-Paredes-Boavista) na terceira posição a 38 segundos.

Foto: Volta a Portugal

Maurício Moreira segue líder da montanha, Jokin Murguialday (Caja Rural-Seguros RGA) veste a camisola branca da juventude e a Glassdrive-Q8-Anicolor lidera por equipas.

Foto: Volta a Portugal

Nesta sexta-feira, dia 12 de agosto, o pelotão da Volta a Portugal terá pela frente uma tirada de 150,1 quilómetros, que ligará Santo Tirso e Braga. Esta é uma etapa que, dadas as suas características, é propícia à chegada de uma fuga, isto porque haverá apenas um prémio de montanha de quarta categoria, ao quilómetro 70,9, e um de segunda categoria a menos de 10 quilómetros da meta. Depois da chegada a esse topo, será sempre a descer até Braga, onde será encontrado o vencedor da sétima etapa.

Top 10 da Classificação da 6ª Etapa:

1. Scott McGill (EUA/Geração de Vida Selvagem) – 3:48:18
2. Mauricio Moreira (URU/Glassdrive-Q8) – m.t.
3. Luís Fernandes (POR/Rádio Popular-Paredes) – m.t.
4. António Barbio (POR/Tavfer-Mortágua) – m.t.
5. Fábio Costa (POR/Glassdrive-Q8) – m.t.
6. Oliver Rees (GBR/Trinity Racing) – m.t.
7. Thomas Armstrong (GBR/Electro Hyper Europe) – m.t.
8. Juan Esteban Guerrero (COL/Electro Hiper Europa) – m.t.
9. César Martingil (POR/Rádio Popular-Paredes) – m.t.
10. Andoni López de Abetxuko (ESP/Caja Rural-RGA) – m.t.

Top 10 da Classificação geral após a 6ª Etapa:

1.Frederico Figueiredo (POR/Glassdrive-Q8) – 25:45:44
2. Mauricio Moreira (URU/Glassdrive-Q8) a 0:07
3. Luís Fernandes (POR/Rádio Popular-Paredes) a 0:38
4. Antonio Carvalho (POR/Glassdrive-Q8) a 2:215
5. André Cardoso (POR/ABTF Betão-Feirense) a 2:39
6. Alejandro Marque (ESP/Atum General-Tavira) a 3:33
7. Delio Fernández (ESP/Atum General-Tavira) a 4:17
8. Jesús del Pino (ESP/Aviludo-Louletano) a 5:44
9. Jokin Murguialday (ESP/Caja Rural-RGA) a 5:55
10. Ángel Sánchez (ESP/Tavfer-Mortágua) a 7:05

7ª Etapa: Santo Tirso – Braga /150,1 Km.