Luís Gomes vence a 7ª etapa da Volta a Portugal, Frederico Figueiredo mantém de amarelo

PARTILHJE

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

DETALHES

Começou com 15 elementos e chegou a Braga com apenas seis. A fuga do dia triunfou no dia de hoje, com Luís Gomes (Kelly-Simoldes-UDO) a superiorizar-se num sprint reduzindo. Gonçalo Leaça (L.A.Alumínios-Credibom-MarcosCar) foi segundo e Txomin Juaristi (Euskatel-Euskadi) fechou o top 3 desta sétima etapa da Volta a Portugal Continente.

Foto: Volta a Portugal

Nesta sexta-feira, dia 12 de agosto, o pelotão da Volta a Portugal terá pela frente uma tirada de 150,1 quilómetros, que ligará Santo Tirso e Braga. Esta é uma etapa que, dadas as suas características, é propícia à chegada de uma fuga, isto porque haverá apenas um prémio de montanha de quarta categoria, ao quilómetro 70,9, e um de segunda categoria a menos de 10 quilómetros da meta. Depois da chegada a esse topo, será sempre a descer até Braga, onde será encontrado o vencedor da sétima etapa.

Nesta sétima etapa não foi preciso esperar muito para conhecer os fugitivos do dia. Um grupo numeroso, composto por 15 corredores, entre eles João Matias (Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados), Scott McGill (Wildlife Generation Pro Cycling), Luís Gomes e José Sousa (Kelly-Simoldes-UDO), Calum Johnston (Caja Rural-Seguros RGA), Joseph Rosskopf (Human Powered Health), Juan Lopez-Cozar (Burgos-BH), Txomin Juaristi e Asier Etxeberria (Euskatel Euskadi), Joaquim Silva (Efapel Cycling), Mateu Esterlrich (Electro Hiper Europa-Caldas), César Martingil (Rádio Popular-Paredes-Boavista), Rafael Lourenço (Atum General-Tavira- AP Maria Nova Hotel), Rui Rodrigues (Aviludo-Louletano-Loulé Concelho) e Gonçalo Leaça (L.A Alumínios-Credibom-MarcosCar).

A fuga chegou a ter mais de quatro minutos de vantagem para o pelotão, grande parte do tempo controlado pela Glassdrive-Q8-Anicolor, equipa do camisola amarela, Frederico Figueiredo. O grupo principal conseguiu ir diminuindo a vantagem da fuga, mas a 20 quilómetros do final, a vantagem era ainda de três minutos.

Luís Gomes mostrou vontade de vencer ainda a 13 quilómetros do final, quando lançou um ataque, levando consigo Txomin Juaristi e Joaquim Silva. O grupo voltaria a juntar-se, mas a iniciativa de Luís Gomes não foi em vão, reduzindo o grupo a apenas sete elementos. Nos últimos 10 quilómetros surgiu novo ataque, uma vez mais, por parte de Luís Gomes e Joaquim Silva. Já na descida final para Braga, Joseph Rosskopf ainda se juntaria a eles. A dois quilómetros do final acabariam por se juntar também outros três corredores que tinham perdido o contacto anteriormente.

O sprint final seria feito a seis, com Luís Gomes a conseguir ser mais forte e a conquistar a vitória na chegada a Braga. Gonçalo Leaça ainda tentou surpreender, mas acabou por fechar na segunda posição. Txomin Juaristi fechou o top 3.

A geral sofreu poucas alterações, com destaque apenas para André Cardoso (ABTF Betão-Feirense), que perdeu 50 segundos, mantendo apesar disso a quinta posição. Frederico Figueiredo segue na liderança, seguido do seu colega de equipa, Maurício Moreira, a sete segundos, e Luís Fernandes (Rádio Popular-Paredes-Boavista), a 38 segundos.

Maurício Moreira segue líder da montanha, Jokin Murguialday (Caja Rural-Seguros RGA) veste a camisola branca da juventude e a Glassdrive-Q8-Anicolor lidera por equipas. A camisola verde, dos pontos, mantém-se com o norte-americano, Scott McGill (Wildlife Generation Pro Cycling), agora com apenas quatro pontos de vantagem sobre João Matias (Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados), que conseguiu diminuir a desvantagem que tinha.

Top 10 da Classificação Geral após a 7ª Etapa:

1. Luís Gomes (POR/Kelly-Simoldes-Udo) – 3:32:03
2. Gonçalo Leaça (POR/LA Alumínios-Credibom) – m.t.
3. Txomin Juaristi (ESP/Euskaltel-Euskadi) – m.t.
4. Calum Johnston (GBR/Caja Rural-RGA) – m.t.
5. Joaquim Silva (POR/Efapel) – m.t.
6. Joseph Rosskopf (EUA/Human Powered Health) – m.t.
7. Asier Etxeberria (ESP/Euskaltel-Euskadi) ea 1:27
8. João Matias (POR/Tavfer-Mortágua) a 1:27
9. César Martingil (POR/Rádio Popular-Paredes) a 1:27
10. Juan A. López-Cózar (ESP/Burgos-BH) a 1:27

Top 10 da Classificação geral após a 7ª Etapa:

1. Frederico Figueiredo (POR/Glassdrive-Q8) – 29:19:34
2. Mauricio Moreira (URU/Glassdrive-Q8) a 0:07
3. Luís Fernandes (POR/Rádio Popular-Paredes) a 0:38
4. Antonio Carvalho (POR/Glassdrive-Q8) a 2:21
5. André Cardoso (POR/ABTF Betão-Feirense) a 3:29
6. Alejandro Marque (ESP/Atum General-Tavira) a 3:33
7. Delio Fernández (ESP/Atum General-Tavira) a 4:17
8. Jesús del Pino (ESP/Aviludo-Louletano) a 5:44
9. Jokin Murguialday (ESP/Caja Rural-RGA) a 5:55
10. Ángel Sánchez (ESP/Tavfer-Mortágua) a 7:05

8ª Etapa: Viana do Castelo – Fafe / 182,4 Km.

A oitava etapa terá um formato bastante ondulado, com quatro prémios de montanha ao longo dos 182,4 quilómetros que o pelotão da Volta a Portugal Continente vai percorrer entre Viana do Castelo e Fafe. Os primeiros dois prémios de montanha são de terceira categoria, um ao quilómetro 80, em Extremo, e outro ao quilómetro 113,1, em Portela do Vale. Seguem-se dois prémios de montanha de quarta categoria, um em Geraz do Minho, ao quilómetro 147,3, e outro quando faltarem cerca de cinco quilómetros para o final da corrida, em Golães. Estas características levam a que esta seja uma etapa propícia à chegada de um pelotão mais reduzido à meta ou até mesmo de uma fuga, podendo depois a vitória ser decidida ao sprint.