Victor Langellotti vence a 8ª etapa da Volta, Frederico Figueiredo mantém de amarelo

PARTILHJE

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

DETALHES

Victor Languellotti (Burgos-BH) atacou a cinco quilómetros do final e celebrou a vitória em Fafe com o pelotão já e pano de fundo. Maurício Moreira (Glassdrive-Q8-Anicolor) ainda se chegou à frente no pelotão, terminando na segunda posição, seguido do camisola verde, Scott McGill (Wildlife Generation Pro Cycling).

Foto: Volta a Portugal

A etapa de hoje, que ligou Viana do Castelo a Fafe, tinha um perfil ondulado, que poderia tanto servir tanto a um corredor mais rápido como a uma fuga. Tal como o pelotão voltista nos tem vindo a habituar, este foi mais um início de etapa louco, com inúmeras tentativas de fuga que se distribuíram ao longo dos primeiros 80 dos 182,4 quilómetros que tiveram de percorrer no dia de hoje. Uma das equipas mais ativas foi a Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados, que tentou por várias vezes colocar corredores na fuga, acabando por conseguir fazê-lo mais tarde na etapa.

A fuga do dia viria a surgir cerca do quilómetro 90, após a descida que se seguiu ao prémio de montanha de quarta categoria, em Vila Franca. O grupo era composto por 10 corredores, entre eles Robin Carpenter (Human Powered Health), Oscar Pelegri (Burgos-BH), Unai Iribar (Euskatel-Euskadi), Rafael Silva (Efapel Cycling), João Matias (Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados), José Maria Garcia (Electro Hiper Europa-Caldas), Rafael Lourenço (Atum General-Tavira-AP Maria Nova Hotel), Ivo Pinheiro (ABTF Betão-Feirense), José Mendes (Aviludo-Louletano-Loulé Concelho) e João Macedo (L.A.Alumínios-Credibom-MarcosCar).

Este grupo chegou a ter cerca de três minutos de vantagem para o pelotão, sendo que quando faltavam 40 quilómetros para o final essa mesma vantagem já tinha caído para menos de metade. A diferença para o pelotão continuou a diminuir até aos últimos 10 quilómetros, altura em que começam a surgir algumas movimentações no grupo. O primeiro a tomar a iniciativa foi José Mendes, que viu rapidamente a sua tentativa ser anulada. Nesta altura, a Glassdrive-Q8-Anicolor tomou a dianteira do pelotão, com Fábio Costa a dar tudo para alcançar a fuga. Entretanto, na frente da corrida surgia novo ataque, desta vez por parte de Oscar Pelegri e Robin Carpenter.

Chegados à subida final que levava à meta, surge um ataque no pelotão, por parte de Victor Languellotti (Burgos-BH), que tomou o lugar do seu colega de equipa, Oscar Pelegri, já sem mais força para tentar lutar por uma vitória. Languellotti nunca conseguiu uma grande vantagem para o pelotão, mas perante a ausência de resposta seguiu para a meta, que acabou por cortar isolado, já com o pelotão em pano de fundo.

Maurício Moreira (Glassdrive-Q8-Anicolor) lançou-se para o segundo lugar, com Scott McGill a fechar na terceira posição e a somar mais pontos, de forma a tentar aumentar a vantagem para João Matias na luta pela camisola verde.

Matias utilizou a seu favor o facto de ter conseguido integrar a fuga do dia, tornando-se líder virtual da classificação por pontos, logo após ter ganho a meta volante colocada em Ponte da Barca. Pouco depois seria alcançado pelo pelotão. O esforço dispensado na fuga levou também a que não conseguisse chegar entre os primeiros à meta, não tendo disputado os primeiros lugares com Scott McGill. Com isto, o norte-americano mantém a camisola verde, com 22 pontos de vantagem sobre João Matias. Maurício Moreira segue líder da montanha, Jokin Murguialday (Caja Rural-Seguros RGA) veste ainda a camisola branca da juventude e a Glassdrive-Q8-Anicolor lidera por equipas.

Na geral individual não houve quaisquer alterações, com Frederico Figueiredo (Glassdrive-Q8-Anicolor) a seguir para a penúltima etapa com a camisola amarela. O seu colega de equipa, Maurício Moreira é segundo, a sete segundos, seguido de Luís Fernandes (Rádio Popular-Paredes-Boavista), a 38 segundos.

Na penúltima etapa teremos a subida ao alto da Sr.ª da Graça, este que é sempre um dos momentos mais aguardados da Volta a Portugal Continente. Os corredores vão percorrer 174,5 quilómetros, entre Paredes e Mondim de Basto, com um dos cinco prémios de montanha da tirada a corresponder com a meta, precisamente, no alto da Sr.ª da Graça. O primeiro da etapa será logo ao quilómetro 11,6, na Rotunda Antarte. Seguir-se-á uma subida de primeira categoria, ao quilómetro 96,7, na Serra do Marão. Ao quilómetro 112,1 haverá novo prémio de quarta categoria, em Velão, para depois os corredores terem logo de enfrentar, ao quilómetro 133,4, no Barreiro. Cerca de 40 quilómetros depois chegarão ao alto da Sr.ª da Graça, uma subida categorizada de primeira categoria.

Top 10 da Classificação da fase 8ª Etapa:

1. Victor Langellotti (MON/Burgos-BH) – 4:11:29
2. Mauricio Moreira (URU/Glassdrive-Q8) – m.t.
3. Scott McGill (USA/Wildlife Generation) – m.t.
4. Antonio Carvalho (POR/Glassdrive-Q8) – m.t.
5. Delio Fernández (ESP/Atum General-Tavira) – m.t.
6. Frederico Figueiredo (POR/Glassdrive-Q8) – m.t.
8. Henrique Casimiro (POR/Efapel) – m.t.
8. Joseph Rosskopf (EUA/Human Powered Health) – m.t.
9. Hugo Nunes (POR/Rádio Popular-Paredes) – m.t.
10. Thomas Armstrong (GBR/Electro Hyper Europe) – m.t.

Top 10 da Classificação geral após a 8ª Etapa:

1. Frederico Figueiredo (POR/Glassdrive-Q8) – 33:31:03
2. Mauricio Moreira (URU/Glassdrive-Q8) a 0:07
3. Luís Fernandes (POR/Rádio Popular-Paredes) a 0:38
4. António Carvalho (POR/Glassdrive-Q8) a 2:21
5. André Cardoso (POR/ABTF Betão-Feirense) a 3:29
6. Alejandro Marque (ESP/Atum General-Tavira) a 3:33
7. Delio Fernández (ESP/Atum General-Tavira) a 4:17
8. Jesús del Pino (ESP/Aviludo-Louletano) a 5:44
9. Jokin Murguialday (ESP/Caja Rural-RGA) a 5:55
10. Ángel Sánchez (ESP/Tavfer-Mortágua) a 7:05

9ª Etapa: Paredes – Nossa Senhora da Graça / 174,5 Km.