Julian Madrigal regressa a Portugal para defender as cores da Glassdrive / Q8 / Anicolor

PARTILHJE

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

DETALHES

Julian Madrigal é mais uma das novas aquisições da Equipa Profissional de Ciclismo Glassdrive / Q8 / Anicolor, ao assinar para as próximas duas épocas. Uma contratação que representa um duplo regresso para o jovem corredor: retomar a modalidade após uma curta pausa e voltar a correr em Portugal, sendo uma das apostas para 2023 do timoneiro da formação de Águeda, Carlos Pereira.

Julian Madrigal Espinoza tem 21 anos (01/06/2001). É natural de Pérez Zeledón, San José, na Costa Rica, onde nasceu. Quando tinha 10 anos, a mãe, médica, recebeu uma proposta de trabalho para vir para Portugal e a família mudou-se toda para cá, para Torres Novas, onde reside. Adotou a dupla nacionalidade e está muito determinado para o novo desafio que vai enfrentar vestido de amarelo flúor.

Campeão do Mundo de Biatlo (natação e corrida) dois anos consecutivos, vem dando passos largos para a sua evolução enquanto ciclista. Fez a sua formação no Alcobaça, até Júnior de 1.º ano e passou depois pela Bairrada Cycling Team, onde fez o 2.º ano no mesmo escalão. Um atleta forte e resistente, é um todo terreno com boa ponta final. Nas últimas três épocas correu em Espanha, já como Sub-23, em 2020 e 2021 na Equipa de Ciclismo Bicicletas Rodríguez-Extremadura e esta temporada na Team Previley Maglia Coforma Bembibre.

No seu palmarés como ciclista conta duas vitórias da Taça de Portugal, em Cadetes, nos anos de 2016 e 2017. Em Júnior venceu em Espanha a Geral da Ruta do Alavariño (2019) e o Prémio do Mondego em 2018.

“Após um tempo de paragem, é um sonho continuar a minha carreira desportiva com a melhor equipa do pelotão nacional. Quero aprender ao máximo com esta experiência e ajudar a equipa a alcançar a glória pela qual é conhecida”, afirmou Julian Madrigal.

Rúben Pereira entende que esta será a “oportunidade de Julian Madrigal demonstrar o seu valor. É um ciclista de enorme qualidade e para mim será um dos melhores jovens da sua geração. Tem muito para mostrar e muito para provar, porque tem uma qualidade imensa. É um corredor que pode mesmo ser revelação dos Sub-23, a par de outros nomes. A sua família respira ciclismo e ele respira ciclismo, acredito mesmo que está numa fase de transição e será um ano de afirmação para ele, em quem depositamos muitas expetativas”.